Uncategorized

UMA HOMENAGEM AOS ANTIGOS AMIGOS DE UNIMEP, CINCO ANOS DEPOIS


ImageNo final do ano de 2006, foi lançada o primeiro – e único número – da revista “Comunicação e Cultura” do GPMC (Grupo de Pesquisa Processos Mediáticos e Culturais) da Faculdade de Comunicação da Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep). Foi uma iniciativa de vários professores e pesquisadores daquela instituição com o objetivo de qualificar o curso de graduação e, aproveitando o bom nome que aquela instituição tinha, criar uma estrutura institucional de pesquisa sobe mídia e cultura para, posteriormente, criar um Programa de Mestrado na área. A revista contou com a contribuição voluntária do Marcelo Muraro que editou a publicação. Marcelo Muraro não tinha nenhum vínculo com a Unimep e acabou contribuindo mais que muitos que estavam na instituição.

Como líder do grupo, fui convidado a participar de reuniões sobre os programas de pós graduação das instituições metodistas. Em uma das reuniões realizada na Umesp, a  direção da Igreja Metodista defendia que os programas de pós graduação stricto sensu das universidades metodistas fossem marcadas pelo viés extensionista, uma característica das instituições. Isto cabia perfeitamente na tradição do GPMC e dos seus membros: a esmagadora maioria dos professores que integrava o grupo discutia os meios de comunicação em uma perspectiva crítica e com foco nas experiências de comunicação popular e comunitária. A criação do mestrado potencializaria e qualificaria os projetos de extensão em comunicação que se fazia, articularia com as pesquisas que eram realizadas e ainda possibilitaria aos egressos dos cursos da Unimep a alternativa acadêmica.

Evidente que isto implicaria em uma qualificação do corpo docente. Alguns se entusiasmaram com a idéia. Outros desdenharam ou fizeram de tudo para bombardear o projeto. Seja por inveja apenas e tão somente por não estar liderando este projeto – convidamos todos os professores para participar  – ou por medo que sobrariam neste projeto por absoluta incompetência, o fato é que esta articulação aproveitou a crise da universidade para desmontar o grupo, demitindo a maior parte deles. Alguns saíram antes, outros depois. De qualquer forma, passados cinco anos após a minha saída – e de outros colegas – fazendo um balanço, percebe-se que estávamos no caminho certo. Todos os docentes daquele grupo hoje estão em grandes universidades, a maioria públicas, desenvolvendo projetos, envolvidos com programas de pós graduação, participando de eventos científicos.

Este post é uma homenagem a este grupo que tive o prazer e a honra de trabalhar junto. Mais que colegas, admiro todas estas pessoas, algumas são amigas minhas há tempos, outras nos tornamos amigos na Unimep, mas, ressalvadas as diferenças, o que nos unia era o compromisso pela qualidade de ensino e pela ética profissional, valores que deixaram de existir na Unimep e que motivaram a nossa saída.

ImageMARTA MAIA – Atualmente é professora do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Junto comigo, foi uma das professoras mais difamadas pelos que armaram nossa demissão, recebendo, inclusive, ataques no seu site pessoal por pessoas que não se identificavam (mas que a identificação do IP de origem demonstra a localidade). Marta Maia desenvolve pesquisas na área de jornalismo, cultura e movimentos sociais e participa ativamente da SBPJor (Sociedade Brasileira de Pesquisadores de Jornalismo). Foi coordenadora do curso de Jornalismo no campus Mariana da UFOP e tem se dedicado a qualidade dos cursos de graduação naquela universidade e também desenvolve projetos de extensão. Teve papel de destaque na elaboração da revista e escreveu comigo o ensaio sobre a Revista Veja, produto de uma pesquisa realizada com alunos de graduação.

ImageMARIA ANGELA PAVAN – Docente na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) em Natal. Produzimos dois trabalhos sobre imagem do negro na mídia, uma sobre a novela Da Cor do Pecado e outro sobre o filme Jubiabá, ambos apresentados na Intercom. Sabe muito sobre televisão, cinema e mídia. Foi demitida em 2007, foi reintegrada e permaneceu mais um tempo na Unimep até ser chamada para a UFRN. Pesquisadora sofisticada, participa da Rede Alcar, da Intercom e esteve recentemente no Confibercom. Tem um excelente trabalho na UFRN, participando da consolidação dos projetos de televisão universitária e também desenvolvendo ações de extensão junto a comunidades quilombolas e ribeirinhas.

ImageMARIA THEREZA AZEVEDO, Marithê, ex-coordenadora do curso de Rádio e TV da Unimep, conhecedora profunda de cinema e audiovisual. Atualmente é professora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) ,envolvida no programa de pós graduação de comunicação daquela universidade. Também esteve recentemente no Confibercom, realizado na ECA/USP.

ImageENEUS TRINDADE FILHO – Um dos maiores pesquisadores e estudiosos da área de Publicidade e Propaganda que conheci, é atualmente meu colega na Escola de Comunicações e Artes da USP. Fez pós doutorado, tem participação intensa no Programa de Pós Graduação em Comunicação da USP e é um dos pesquisadores mais produtivos da ECA. Na Unimep, era reconhecido pelos alunos como um dos melhores professores do curso.

ImageVALDEMAR SIQUEIRA FILHO, o “Dema”, é atualmente docente na Universidade Federal da Região do Semi Árido em Mossoró (RN). Desenvolve trabalhos em capacitação de professores da rede pública e de extensão junto a comunidades de pescadores. Também um pesquisador produtivo e envolvido na prática da pesquisa no ensino de graduação. Acredita que a prática da pesquisa é o melhor método de ensino no nível superior e critica duramente os mecanismos de exclusão existentes nas instituições de ensino superior.

ImageADOLPHO QUEIROZ – Quando entrei na Unimep, coordenava o curso de Comunicação. Foi para a Metodista de São Bernardo onde se integrou no Programa de Pós Graduação daquela instituição, deu grandes contribuições na montagem da revista e do grupo GPMC, saiu das metodistas e atualmente é professor da Universidade Mackenzie, em São Paulo. Faz parte da direção da Intercom e contribuiu com sua experiência como dirigente de uma entidade de pesquisadores e também como membro de um programa de pós graduação para a montagem do GPMC e do projeto de mestrado.

ImageJUAREZ TADEU DE PAULA XAVIER – Também antigo amigo pessoal, ficou apenas um ano na Unimep apesar de ter sido considerado pelos alunos como um dos melhores professores do curso, convidado, inclusive para ser paraninfo de uma turma. Atualmente é professor e coordenador do curso de jornalismo na Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Baurú (SP). Atualmente está pesquisando economias criativas e experiências de mídias radicais.

Outros colegas que participaram: Ivonésio Leite de Souza (foi demitido em 2007, mas foi reintegrado e continua na Unimep, é um combativo militante sindical docente), Luciene Belleboni (saiu da Unimep e não tenho informações qual é a sua atividade atual) e Miriam Rother (também saiu da universidade e mantém um site de serviços, o Gato Malhado). Um grande abraço a todos e sucesso nas suas atividades atuais.

Anúncios
Standard

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s