Direitos Humanos, Preconceito e Racismo, Incomodos, Observações do cotidiano, Uncategorized

O povo, o kardecismo e o racismo


Sempre incomodou-me muito o excesso de religiosidade do povo brasileiro. Principalmente porque isto implica em uma exagerada resignação a determinadas situações. Porém, após entender um pouco mais esta questão que é bem complicada, consigo vislumbrar não só um sentido, mas um “jogo” de sentidos como afirma Muniz Sodré para definir cultura. A religiosidade no Brasil tem muito mais uma significação cultural – como um jogo de sentidos – que uma adesão ideológica (embora esta não possa ser também descartada) a uma doutrina.

Um texto conhecido de Allan Kardec – “Perfectibilidade da raça negra” – publicado em 1862 em uma revista de artigos da doutrina espírita na França, causou furor entre intelectuais pró e contra o criador da doutrina do espiritismo. Trechos abaixo citados em um artigo do prof.  Orlando Fedeli (Orlando Fedeli – Allan Kardec, um racista brutal e grosseiro )

“Mas, então, porque nós, civilizados, esclarecidos, nascemos na Europa antes que na Oceania? Em corpos brancos antes que em corpos negros? Por que um ponto de partida tão diferente, se não se progride senão como Espírito? Por que Deus nos isentou do longo caminho que o selvagem deve percorrer? Nossas almas seriam de uma outra natureza que a sua? Por que, então, procurar fazê-lo cristão? Se o fazeis cristão, é que o olhais como vosso igual diante de Deus; se é vosso igual diante de Deus, porque Deus vos concede privilégios? Agiríeis inutilmente, não chegaríeis a nenhuma solução senão admitindo, para nós um progresso anterior, para o selvagem um progresso ulterior; se a alma do selvagem deve progredir ulteriormente, é que ela nos alcançará; se progredimos anteriormente, é que fomos selvagens, porque, se o ponto de partida for diferente, não há mais justiça, e se Deus não é justo, não é Deus. Eis, pois, forçosamente, duas existências extremas: a do selvagem e a do homem mais civilizado.” (Allan Kardec, “Perfectibilidade da raça negra” Revue Spirite, Abril de 1862)

Ou este outro:

“O progresso não foi, pois, uniforme em toda a espécie humana; as raças mais inteligentes naturalmente progrediram mais que as outras, sem contar que os Espíritos, recentemente nascidos na vida espiritual, vindo a se encarnar sobre a Terra desde que chegaram em primeiro lugar, tornam mais sensíveis a diferença do progresso(sic!). Com efeito, seria impossível atribuir a mesma antiguidade de criação aos selvagens que mal se distinguem dos macacosque aos chineses, e ainda menos aos europeus civilizados” (Allan Kardec, A Gênese)

Ou então mais este:

“6 –Por que há selvagens e homens civilizados? Se tomarmos uma criança hotentote recém nascida e a educarmos nas melhores escolas, fareis dela, um dia, um Laplace ou um Newton? “Em relação à sexta questão, dir-se-á, sem dúvida, que o Hotentote é de uma raça inferior; então, perguntaremos se o Hotentote é um homem ou não. Se é um homem, por que Deus o fez, e à sua raça, deserdado dos privilégios concedidos à raça caucásica? Se não é um homem, porque procurar fazê-lo cristão ?” 

Não pairam dúvidas sobre a concepção de ser humano de Kardec, cuja doutrina é toda baseada nos princípios do darwinismo social e do positivismo. Mas então porque o Brasil, um país de maioria negra, é considerado a nação com maior número de praticantes do espiritismo do mundo e ainda por cima, foi onde nasceu a umbanda, religião que articula as tradições africanas com o kardecismo?

Penso que isto é explicado pela perspectiva de trânsito da cultura popular brasileira em que determinados princípios – como a sacralização do real que é tido como profano na clássica divisão cartesiana das tradições judaico-cristãs – atuam como elementos norteadores de um movimento de jogo de sentidos. O que importa para este sujeito é ir ao encontro de lugares em que este sagrado possa se aproximar o máximo possível da sua existência “mundana”, seja no centro espírita com a mediunidade, seja na umbanda, seja no candomblé e até mesmo nas festas populares católicas em que o santo caminha junto por meio de imagens e até recebe uma dose de cachaça ou uma xícara de café.

Por isto, a militância religiosa brasileira se coloca muito mais no engajamento nos eventos sociais (organização de festas, campanhas beneficentes, entre outros) e se centra na oralidade do que na prática sistemática de aprofundamento teórico na doutrina, coisa que fica mais para um segmento mais intelectualizado da população. O que chama a atenção, entretanto, é o crescimento da doutrina espírita entre uma classe média intelectualizada que pouco comenta ou discute este pensamento abertamente racista de Kardec. Estranho, principalmente pelo fato dos kardecistas se autodenominarem como praticantes não de uma religião mas de uma “doutrina científica” a qual sempre riem de forma arrogante e superior dos que dela discordam (como pretensos intelectuais desdenhando de ignorantes) esquecendo que teorias cientificas sempre são passíveis de serem questionadas e discutidas e não impostas como verdade absoluta (pois aí se transformam em dogmas). Uma pena, pois perdem com isto justamente o aspecto mais rico da apropriação popular da religião que é este jogo de sentidos o que permite estas reinvenções. Tomar o kardecismo acriticamente como uma doutrina científica, é ressuscitar  a idéia de raça superior, do racismo científico e da eugenia – isto é, nada mais, nada menos, que um pensamento de cunho nazista.

Anúncios
Standard

11 thoughts on “O povo, o kardecismo e o racismo

  1. Marcelo Lemos diz:

    É por conta disso, e na mesma linha a opinião de Kardec sobre o homossexualismo, sobre a poligamia, etc. que deixei um pouco de lado o espiritismo. Pois se Deus existe e pensa dessa maneira… sinceramente, estamos fodidos!

  2. Religião é sempre um problema do ponto de vista dos dogmas e, sobretudo, da interpretação dos mesmos ao longo do tempo. Há que buscar o bom-senso de entender o contexto histórico do momento em que as palavras foram registradas. Engraçado que, do próprio Kardec, existe a obra “O Evangelho segundo o Espiritismo”, que achei muito boa acerca da interpretação do que está escrito na bíblia e do que a história afirma que Jesus disse, do porquê das parábolas, do contexto histórico em que elas tiveram de ser usadas, enfim. Como podem existir escritos tão dispares de um mesmo autor? Bom, felizmente, uma das coisas importantes que “Deus nos deu” e que espiritismo tanto fala: o livre arbítrio, nos permite discernir sobre o que absorver e o que descartar dos escritos religiosos e da filosofia para a nossa vida.

    Por essas e outras que não abraço nenhuma religião, embora busque “beber” um pouco de cada uma…

  3. Valdir Estrela diz:

    Excelente reflexão D.O. O espiritismo do ramo kardecista apesar de se arvorar como uma religião que tem como um de seus sustentáculos a ciência não foge à regra existente nas demais religiões:O apego a dogmas e preconceitos arraigados no senso comum que foram forjados e se proliferaram desde a Antiguidade e permanecem até os nossos dias. Definitivamente não há possibilidade lógica de identidade entre ciência e religião. Uma precisa da razão para existir com coerência e dignidade, a outra depende da fé para se afirmar. Encontrar o meio termo para esse dilema é coisa para sofistas e/ou prestidigitadores. Axé,

    Valdir Estrela

  4. Fátima diz:

    Infelizmente, tomar qualquer coisa como científica é de fato, anular o todo que a ciência não alcança. A perspectiva do kardecismo é de utilizar a ciência como um meio talvez de não perder a credibilidade, para com os questionadores vorazes que sempre buscam o explicável, o paupável, o tátil.. já que, se não assim o fizessem, teriam mais questionamentos do que na atualidade existem, e até talvez difamações, pelo fato de que muitas pessoas ainda necessitam de provas e de fatos concretos para acreditar em algo.
    Não que a doutrina toda se resuma ou se calque na ciência. Não. É mais do que isso. Para o homem, que ainda carece dela em virtude da sociedade, é a prova que necessita para acreditar.

    • Rodrigo diz:

      Cara Fátima, nao se aborreca, pois se os difamadores falassem com conhecimento de base, certamente, pelos minimo nos reconheceriam como irmãos na Seara Crista!

  5. Rodrigo diz:

    Caro Mestre Dennis!

    Gostaria de tecer o seguinte comentário para rebater este artigo:

    A Religião na Doutrina Espirita e entendida como um fenômeno cultural relacionado a revelação mediunica conduzido e inspirado pelo Plano Maior com o envio de condutores e missionários de todos os matizes nas mais variadas áreas de atividades em todos os povos. A Doutrina Espirita edifica suas afirmativas na pesquisa, no estudo e na construção teórica feita na História das Religiões e disciplinas correlatas com procedimento metodológico que se identifica
    com o adotado pelas Ciências de nossos dias. Embora apoiando-se na orientação dos Espíritos. As crenças, os ritos, os cultos e as praticas mais variadas tem suas raízes naqueles das crenças primitivas cujas origens se perdem nos recônditos dos tempos. Sua forma atual e o resultado de processo evolutivo que se entrosa e resulta do desenvolvimento geral acompanhando e enriquecendo-se com as expressões culturais que o progresso forja.
    Em todos tempos, as crenças religiosas relacionam-se ao horizonte cultural da época.

    Na visão Kardecista que não e de modo algum racista, se expoe o seguinte: E pelo intercâmbio de idéias com os desencarnados que o homem primitivo renova valores no campo mental, acolhendo gradativamente, de forma dosada, os princípios germinativos da Religião, da Ciência, da Virtude, da Educação, da Industria e das Artes que lhe traçam renovações no corpo espiritual com reflexo no veiculo físico.

    Em sintonia com os que tem a seu cargo do Plano Espiritual conduzi-lo, o homem primevo inicia a engrandecer-se em aptidões e virtudes, em sabedoria e amor com resultados subordinados ao esforço por ele mesmo voluntariamente empregado.

    Enfim, cada Ser Espiritual e o construtor do seu próprio destino. No Universo ” a idade” do Ser Espiritual difere pois há vários estágios
    evolutivos.

    Recomendo ao Senhor, Mestre Dennis, um livro chamado: A Caminho da Luz do Chico Xavier!

    Lendo o livro o Senhor percebera com conhecimento de base que há ” duas existências extremas: a do homem selvagem e a do homem civilizado”.

    Um fraterno abraço!

    Rodrigo

  6. Leandro diz:

    1 – Ora, meu caro, não diga bobagem! Allan Kardec nunca foi racista. Todas as citações que você faz pertencem a Orlando Fedeli, como você mesmo disse, e não a Allan Kardec. Então, por que atribuir tal asneiras ao Kardec?

    2 – Todos as pessoas que comentaram neste post negativamente ao Kardec, não se ateram a este pequeno detalhe que citei em supra e que volto a repetir em infra:

    Todas as citações que você fez no seu ‘artigo’ calunioso pertencem a Orlando Fedeli, como você mesmo disse, e não a Allan Kardec.

    3 – Para demontrar minha total imparcialidade religiosa em defender Kardec, saibam que sou ateu.

    Até!

  7. Você é que leu errado. São trechos sim do ALLAN KARDEC publicados na revista citada e QUE FORAM CITADOS por Orlando Fedelli e não são trechos dele. Basta ver a referência que está entre parênteses. Não sei se você sabe, mas quando um autor cita um trecho de outro em um artigo seu, coloca entre aspas e cita a fonte – isto faz parte da norma da ABNT. Portanto, mesmo que este trecho foi citado em artigo de outro, se está entre aspas e há a referência da fonte é que ele pertence ao autor que foi citado. Sei que este tipo de reflexão causa certaq indignação, principalmente porque parece que o kardecismo tem um certo carisma entre pessoas que dizem não professar religião nenhuma (provavelmente por conta desta pretensão de ser uma “teoria científica” e não uma doutrina religiosa), mas são fatos. Um kardecista disse que de fato, Kardec pensava assim mesmo por conta da sua visão positivista e até eugenista, mas que mais tarde ele fez autocrítica. E que é preciso ver o autor dentro do seu tempo. Uma argumentação interessante que espero que seja mais aprofundada por quem realmente conhece a obra.]

  8. PAULO H C P ROMANI diz:

    PESSOAL, LEIAM “EXILADOS DA CAPELA”, LÁ, SALVO ENGANO, DIZ RECONHECER SER A RAÇA BRANCA – NO LIVRO RECEBE OUTRO NOME -, A RAÇA SUPERIOR FISICAMENTE, QUE,
    É A EXTERIORIZAÇÃO DA SUPERIORIDADE INTELECTUAL E MORAL.

  9. Wilson diz:

    Observações Espiritualistas e a Umbanda.

    1) O Espirito é o ser pensante.
    O principio da inteligência e do senso moral no ser humano esta no Espirito e não na matéria física ou matéria corporal.
    O pensamento, a vontade, o raciocínio, a inteligência, as emoções, os sentimentos, o senso moral são atributos do Espirito ou alma.
    Quem pensa e sente é o Espirito.
    A matéria não pensa e nem sente.
    O Espirito não tem cor racial, nem nacionalidade, nem idade física e nem sexo, no mundo espiritual ou extra físico os espíritos desencarnados não são nem brancos, nem negros, nem amarelos, nem mestiços, nem crianças e nem velhos ou idosos e também não são mulheres e nem homens.
    Isso são condições da vida terrena, na desencarnação os Espiritos deixam essas características físicas ou matérias e voltam a ser Espiritos livres do corpo carnal.
    Porem, os espíritos desencarnados possuem um corpo fluídico semi material chamado de perispirito ou corpo astral, esse corpo é flexível ou plasmavel a vontade do Espirito que é o ser pensante, os espíritos desencarnados podem conforme as suas condições mentais e morais tomar varias formas perispirituais, eles podem plasmar a forma fluídica de um negro, um branco, um amarelo, uma criança, um idoso, uma mulher, um homem, um militar, um medico, um índio etc…
    Portanto, no Mundo Espiritual que é o verdadeiro mundo, NÃO EXISTE RAÇAS E NEM SEXO E NEM IDADE FÍSICA.
    Essa idéia de raça superior ou raça inferior não tem fundamento racional, por que, um Espirito Superior pode se reencarnar como, negro, branco, amarelo, mestiço.
    Quando um espírito desencarnado se apresenta como preto velho ou índio ou caboclo isso é um erro, o Espirito repito não tem raça e nem cor de pele e nem nacionalidade o Espirito é Luz.
    Os espíritos desencarnados podem tomar a forma perispiritual de um caboclo, índio, preto velho, medico, professor, militar etc…
    Podemos analisar, que não existe espíritos de caboclos e pretos velhos, isso é uma condição da vida terrena, na desencarnação o Espirito deixou seu Corpo carnal e suas condições raciais e de sexo.
    A nacionalidade, a cor racial, a idade física e o sexo ficaram no plano terreno.
    O espírito desencarnado não tem corpo físico, não tendo corpo físico o espírito desencarnado não tem raça, nem cor de pele, nem idade física e nem sexo.
    Deu para entender.
    Isso que Divaldo P Franco tentou explicar.
    O Espirito desencarnado não tem raça e nem cor de pele, por que, ele não tem mais o Corpo carnal ou corpo físico.

    2) O negro só é negro pelo corpo físico.
    O branco só é branco pelo corpo físico.
    O amarelo ou mestiço só o é pelo corpo físico.
    A criança ou o idoso só o é pelo corpo físico.
    Ser mulher ou ser homem é uma condição do corpo físico.
    Deu para entender.
    O preto velho ou o caboclo ou índio só o é pelo CORPO CARNAL.
    Um negro velho ou um branco velho ou um índio ou caboclo quando desencarnam, eles deixam essas características físicas no plano material ou plano terreno.
    Espirito desencarnado não tem corpo físico.
    As características físicas e racias estão no CORPO CARNAL.
    Muitos umbandistas falam que os seus médiuns videntes conseguem ver a forma espiritual de um caboclo e de um preto velho em seus trabalhos mediúnicos.
    Eles estão vendo a forma do perispirito.
    O perispirito é um corpo fluídico plasmavel ao pensamento do Espirito que é o ser pensante.
    Os espíritos desencarnados podem conforme a sua vontade tomar formas perispirituais que eles quiserem, eles podem plasmar fluidicamente a forma de um militar, um medico, um índio, um negro, um branco, um amarelo, um preto velho ou branco velho.
    Os médiuns videntes umbandistas vêem a forma perispiritual de índios, caboclos, pretos velhões.
    No mundo espiritual ou plano astral as condições raciais e de nacionalidade e sexo deixaram de existir.
    Vamos concluir, que não existe pretos velhos e nem caboclos ou índios no plano astral.

    3) Vejamos um exemplo, um espírito teve 5 reencarnações no plano terreno, ele foi numa reencarnação negro, na outra ele foi branco, na outra ele foi amarelo, na outra ele foi mestiço e em outra reencarnação ele foi um índio.
    Perguntamos, esse espírito voltando para o mundo espiritual ele vai ser de qual raça????
    Nenhuma, não existe raças no plano espiritual.
    As condições físicas e raciais são do Corpo carnal e não do Espirito que é o ser pensante.
    Da mesma forma não existe crianças nem idosos no mundo espiritual, isso é uma condição terrena.
    Os espíritos desencarnados podem tomar formas perispirituais de pessoas brancas, pessoas negras, pessoas mestiças, de índios, de orientais e ocidentais, o perispirito é um corpo fluídico plasmavel ao pensamento e a vontade do espirito , quando um espírito se apresenta numa reunião mediúnica como preto velho ou caboclo isso é a forma perispiritual que ele tomou.
    São formas perispirituais somente isso.
    Repetimos o Espirito não tem raça, nem cor de pele e nem nacionalidade e nem sexo.

    4) Questões morais.
    Os espíritos elevados e os bons espíritos já estão com seus pensamentos e sentimentos moralmente depurados, eles não tem vícios, nem maus desejos, nem maus pensamentos, nem apegos a coisas matérias.
    Portanto, os Espiritos Elevados não vão pedir coisas matérias, como, cigarros, charutos, cachaça, velas, despachos, sacrifícios de pobres animais.
    Quem pede essas coisas são espíritos moralmente atrasados ainda apegados a matéria e aos vícios terrenos.
    Quando um espírito desencarnado se apresenta numa reunião mediúnica pedindo essas coisas matérias vamos concluir o que???
    Um Espirito Elevado um Espirito de Luz vai pedir essas coisas???
    É uma questão de usar o bom senso e a lógica.
    Eu estou apenas analisando uma questão espiritista só isso, não estou criticando ninguém.
    Como reconhecer a elevação dos espíritos desencarnados???
    Como podemos saber se um espírito que se apresenta numa reunião mediúnica é um espírito bom ou mal???
    Vejamos esses princípios.
    Uma pessoa boa, correta, honesta, digna e culta jamais vai usar uma Linguagem grosseira, agressiva, pesada, com palavrões, com palavras obscenas, falando aos gritos e de forma violenta.
    Ela terá uma Linguagem que reflete suas condições morais e intelectuais, ela terá uma Linguagem digna, correta, elevada, com palavras positivas e limpas.
    Veja a linguagem de Chico Xavier, ele usava uma Linguagem pesada, grosseira, agressiva, com palavras obscenas e ímpias???
    Claro que Não.
    Ele tinha uma Linguagem doce, meiga, suave e moralizadora.

    A Linguagem é o ponto chave.
    Os Espiritos elevados e os Bons Espiritos possuem sempre uma Linguagem digna, pura, elevada, lógica, nobre e sublime de moralidade.
    E seus Ensinamentos visam sempre a melhoria Moral e espiritual das pessoas, os Espiritos de Luz pregam sempre o Amor, a fraternidade, o respeito, a dignidade, a disciplina, a elevação moral, a ordem, as Virtudes, a caridade, eles procuram sempre moralizar, educar e disciplinar as pessoas.
    Os Espiritos Superiores e os Bons espíritos são Virtuosos em seus ensinamentos.
    Um Espirito elevado jamais vai usar uma Linguagem grosseira, agressiva, vulgar, chula, sem lógica, com palavrões e palavras obscenas.

    Os espíritos inferiores apegados a matéria e aos desejos e vícios terrenos, possuem sempre uma Linguagem que refle as paixões humanas, sua Linguagem é pesada, grosseira, vulgar, agressiva, ímpia, com palavras sujas e palavrões.
    Na Linguagem desses espíritos se reflete sentimentos impuros de ódio, raiva, desejos de vingança, rancor, cólera, racismo, querem dar ordens e serem obedecidos, eles se impõe .
    Basta avaliar o teor moral da linguagem que usam, que vamos ver o tipo moral desses espíritos.

    5) O Espirito é o ser pensante.
    Quem pensa e sente é o Espirito.
    O corpo físico ou corpo carnal não pensa e nem sente. A matéria não possui qualidades morais e nem qualidades intelectuais essas são atributos do Espirito ou alma.
    O espírito desencarnado não possui mais o corpo físico, as características físicas como, cor da pele, cor dos cabelos, cor dos olhos, a idade física e o sexo são somente do CORPO FISICO, os espíritos desencarnados não tem mais características físicas ou raciais, no mundo espiritual ou plano extra físico não existe espíritos de brancos, nem negros, nem amarelos, nem mestiços, nem crianças, nem idosos, os Espíritos são seres de Luz, seres inteligentes.
    Quando um espírito desencarnado se manifesta numa reunião mediúnica como preto velho, caboclo, índio, isso é a forma perispiritual que ele tomou, por que, para o Espirito não existe raças e nem nacionalidades e nem sexo.

    As características físicas e raciais pertence ao corpo físico.
    As características morais e intelectuais pertence ao Espírito que é o ser pensante.
    Perguntamos, os espíritos desencarnados possuem corpos físicos???
    Claro que não.
    Se eles não possuem corpos físicos, eles não possuem características físicas e nem raciais.
    Logo os espíritos desencarnados não possuem raças.
    O negro só é negro pelo corpo fisico.
    O branco só é branco pelo corpo fisico.
    O mestiço só é mestiço pelo corpo fisico.
    O amarelo só é amarelo pelo corpo fisico.
    A mulher só é mulher pelo corpo fisico.
    O homem só é homem pelo corpo fisico.
    A criança só é criança pelo corpo fisico.
    O idoso só é idoso pelo corpo fisico.

    Casos os senhores discordem tudo bem, só não precisa ficar com raiva de mim, eu só estou colocando um pensamento, somente isso.

    6) Questões para pensar.
    O Espírito se reencarna no mundo terra é para evoluir no campo moral e no campo intelectual pela sua luta e esforço pessoal, temos que combater as nossas imperfeições morais para podermos evoluir e crescer espiritualmente.
    Evolução espiritual é aprimoramento MORAL E INTELECTUAL.
    Temos que praticar o Bem, o amor, as virtudes, ser honesto, correto, cordial, caridoso, educado, solidário, ajudar os necessitados, amar e respeitar os animais, combater os maus pensamentos, combater os vícios e maus desejos, isso é evoluir.
    Temos que nos Espiritualizar e nos moralizar.
    Perguntamos, qual melhoria moral e espiritual uma pessoa vai ter usando charutos, cachaça, matando covardemente animais inocentes em rituais sangrentos???
    Qual melhoria moral vamos ter com essas coisas???
    Uma outra questão.
    O que vai atrair os Espíritos Superiores e os Bons Espíritos??
    Charutos, cachaça, despachos, velas, incenso, amuletos, talismã, sacrifícios de pobres animais?
    Ou são os pensamentos elevados e nobres, a prece sincera, a caridade, o amor, a elevação moral, as virtudes, a pratica das boas ações, a honestidade, a fraternidade e o respeito pelos animais????
    Pense nisso.
    Procure raciocinar.

    7) O Verdadeiro Sacrifício, não é sacrificar animais inocentes nesses rituais sangrentos e primitivos para agradar espíritos inferiores do plano astral.
    O verdadeiro sacrifício consiste em Sacrificar as nossas imperfeições morais, para podermos Evoluir espiritualmente.
    Sacrificar os maus pensamentos, sacrificar os maus desejos, sacrificar os sentimentos impuros de ódio, raiva, inveja, racismo, falsidade, desonestidade, desejos de vingança, os vícios etc…
    O Verdadeiro sacrifício é de ordem Moral.
    Esse sacrifício moral ou Depuração moral vai atrair a assistência luminosa dos Espíritos Elevados e dos Bons Espíritos.
    É disso que precisamos nos melhorar no campo moral e intelectual, ficar matando pobres animais vai trazer algum beneficio espiritual e moral para as pessoas???
    Pense nisso.

  10. Wilson diz:

    Espiritismo Doutrinario.
    1)O Espiritismo ou Doutrina Espírita não tem nenhuma ligação com cartomantes, umbanda, candomblé, magias, misticismo.
    O Mestre Allan Kardec em suas Obras não manda ninguém usar velas, incenso, amuletos, talismã, roupas brancas, imagens de santos, fazer despachos, muito menos sacrificar pobres animais, nada disso representa a Doutrina Espirita.
    Uma questão muito importante, Kardec não manda ninguém evocar espíritos para tratar de assuntos matérias terra a terra, assuntos vulgares como, volta da pessoa amada, sorte com o dinheiro, sorte com as mulheres, predizer o futuro, revelar tesouros perdidos, revelar formulas para ficar rico, fazer trabalhos de magia para prejudicar desafetos etc…
    O intercambio com o mundo espiritual ou plano astral é para instruir, esclarecer e moralizar os espíritos humanos.
    Nunca para tratar de assuntos vulgares, matérias e mesquinhos sem elevação Moral.
    Quem pratica essas coisas vai atrair pela Sintonia vibratória dos pensamentos os espíritos inferiores, perturbadores, embusteiros e obsessores do plano astral.
    O intercambio mediúnico com o mundo espiritual é algo muito serio e nobre e também perigoso, a mediunidade tem que ser praticada com disciplina, elevação moral, responsabilidade, ordem e critérios doutrinários.
    Tudo no mundo espiritual ou plano astral é regulado pela Lei de Sintonia Vibratória dos Pensamentos ou Afinidade Moral.
    Os semelhantes se atraem e os diferentes se repelem.
    O Bem tem sintonia com o Bem.
    A Virtude tem sintonia com a virtude.
    A Verdade tem sintonia com a Verdade.
    O mal tem sintonia com o mal.
    O vicio tem sintonia com o vicio.
    A mentira tem sintonia com a mentira.
    Tudo é sintonia e atração no plano espiritual.
    Cada pessoa conforme seus pensamentos, sentimentos e atitudes vai atrair Bons ou maus espíritos, tudo depende do Padrão Moral dos pensamentos das pessoas.

    2)Não adianta usar roupas brancas, amuletos, talismã, velas, incenso, exorcismos, imagens de santos, para afastar os maus espíritos.
    Temos que cultivar pensamentos elevados e nobres e praticar o Bem e as Virtudes, dessa forma a pessoa consegue elevar seu Padrão Vibratório e repele as vibrações pesadas e negativas dos espíritos inferiores, perturbadores e obsessores do plano astral.
    Não havendo sintonia vibratória os maus espíritos não conseguem influenciar as pessoas.
    O Bem repele o mal.
    Uma outra questão muito importante no Espiritismo é que esses espíritos desencarnados que se apresentam nas reuniões mediúnicas pedindo cigarros, farofa, charutos, cachaça, velas, despachos e sacrifícios de pobres animais, são espíritos moralmente atrasados apegados a matéria e aos vícios e desejos terrenos, somente espíritos inferiores podem pedir tais coisas.
    Os Espiritos Superiores e os Bons Espiritos já estão com seus pensamentos e sentimentos moralmente depurados, eles não tem necessidades matérias.
    Quem pede essas coisas são espíritos inferiores que possuem um perispirito denso, grosseiro, eles sentem ainda as necessidades matérias que eles tinham quando estavam encarnados, como eles não possuem mais o corpo físico para saciar tais desejos e vícios terrenos, eles vão se servir dos encarnados que possuem esses desejos e vícios.
    Eles vão encostar o seu perispirito no perispirito do encarnado que esta bebendo ou fumando e vão sugar fluidicamente os fluidos da nicotina e do álcool num processo chamado de Vampirismo psíquico, eles são tipo parasitas espirituais.
    É por isso que esses médiuns que usam cachaça e charutos são Vampirizados por espíritos inferiores do plano astral.

    3) Perguntamos.
    Vocês acham que um Espírito Superior um Espírito de Luz vai necessitar de velas, cachaça, cigarros, charutos e despachos???
    Vocês acham que um Espírito Elevado vai pedir sacrifícios de pobres animais????
    Procurem raciocinar.
    Quem pede essas coisas são espíritos que ainda estão presos as necessidades matérias, são espíritos moralmente atrasados.
    E muitos desses espíritos podem ser maldosos e vingativos, cuidado!!
    Os despachos são usados para esses espíritos sugarem as emanações fluídicas dos alimentos que são colocados ali.
    É um bando de Vampiros, isso que eles são.
    E muitas pessoas acham que são Espíritos Elevados que pedem essas coisas, isso é deplorável.
    Esses espíritos que se apresentam como caboclos, índios, pretos velhos, orixás, são espíritos desencarnados que ainda estão com seus pensamentos e sentimentos apegados as coisas matérias, eles precisam se depurar moralmente e se esclarecerem.

    4) O Espiritismo tem por finalidade básica instruir, esclarecer, educar, moralizar e espiritualizar as pessoas, incentivando elas a seguirem o caminho do Bem, da caridade e das virtudes.
    O Espiritismo é uma Escola de esclarecimentos espirituais, um dos seus ensinamentos básicos é desenvolver a Fé raciocinada na mente das pessoas.
    O Espiritismo nas Obras do Mestre Allan Kardec esclarece que não existem milagres e nem fatos sobrenaturais no Universo, todos os fenômenos espíritas e mediúnicos são fenômenos NATURAIS regulados por Leis naturas, eternas e imutáveis.
    O Deus bíblico que realiza milagres, que castiga, que perdoa, que distribui favores não existe, esse é o Deus criado pelos homens.
    Deus criou o homem e o homem criou vários Deuses.
    O Deus bíblico é uma criação humana.
    Esse Deus que sente ira, cólera, raiva, pede sacrifícios de animais, manda exterminar povos estrangeiros, é uma fantasia.
    Deus não faz milagres, Jesus nunca fez milagres, as curas realizadas pelo grande Mestre Jesus eram fenômenos psíquicos Naturais.
    O Mestre Kardec fala em seus livros, que é a falta de conhecimentos das Leis naturais que regem o mundo espiritual que criou a idéia do milagre e do sobrenatural.
    É por isso que a fé no Espiritismo é Racional e não mística.

    5) Existe muitas pessoas que se dizem espíritas e quando começam a falar do Espiritismo, falam de banho de ervas, banho de sal grosso, velas, amuletos, roupas brancas, imagens de santos, vamos ver claramente que não são Espíritas, por que, o Espiritismo ou Doutrina Espírita não prega essas coisas.
    O Mestre Kardec em seus livros não manda ninguém usar velas, amuletos, talismã, roupas brancas, imagens de santos ou anjos, nem fazer despachos ou sacrificar pobres animais, nada disso existe na Doutrina Espírita.
    Portanto, temos que estudar as Obras de Allan Kardec para podermos ter uma visão clara e segura do Espiritismo.
    Sem Kardec não existe Doutrina Espírita.
    Uma outra questão importante, a Umbanda não é Espiritismo.
    A umbanda trabalha com fenômenos mediúnicos, ou seja, a mediunidade, eles entram em contato com os espíritos desencarnados para certos trabalhos.
    Porem, as diferenças entre Espiritismo e Umbanda é muito grande, repetimos, o Mestre Allan Kardec em seus Livros não orienta ninguém a usar velas, amuletos, roupas brancas, imagens de santos, fazer despachos e sacrificar covardemente animais inocentes, isso não tem nada haver com os princípios Doutrinários do Espiritismo.
    Não estou discriminando nada só estou definindo questões Doutrinarias.
    Não podemos misturar coisas diferentes.

    6) Como reconhecer a elevação dos espíritos desencarnados que se apresentam nos trabalhos mediúnicos???
    A Linguagem e os ensinamentos é o ponto chave.
    Os Espíritos Superiores e os Bons Espíritos possuem sempre uma Linguagem moralmente LIMPA, sua linguagem é elevada, nobre, pura, digna, lógica, e sublime de moralidade e seus Ensinamentos possuem sempre um teor Moral elevado e digno, eles pregam sempre em suas comunicações ou mensagens, a Caridade, o Amor, as Virtudes, a Disciplina, a Ordem, a Justiça, a Humildade, a Elevação Moral.
    Os Espíritos Elevados são Virtuosos em seus ensinamentos.
    De um Espírito Elevado só pode vim Virtudes, Luz e Amor.

    Os espíritos inferiores apegados a matéria e aos vícios e desejos terrenos, possuem sempre uma Linguagem moralmente pesada e maliciosa.
    Eles possuem uma Linguagem grosseira, pesada, vulgar, violenta, agressiva, chula, sem lógica e sem elevação moral.
    Desses espíritos só podem vim vícios, mentiras, vulgaridades e grosserias.
    A Linguagem é o ponto chave que devemos analisar sempre nas comunicações mediúnicas.
    Portanto, nas comunicações e mensagens que venha dos espíritos desencarnados temos que analisar com muito cuidado a Linguagem e os ensinamentos dos Espíritos.

    Os espíritos inferiores também gostam de se impor e dar ordens, querem ser obedecidos, não podemos questionar nada, temos que aceitar as suas orientações.
    Esse é um sinal claro de embuste.
    Os espíritos elevados jamais se impõem e nem dão ordens, eles dão conselhos e orientações visando sempre a melhoria Moral e espiritual das pessoas, uma outra questão importante, os Espíritos Elevados nunca vão tratar de assuntos matérias como, volta da pessoa amada, sorte no jogo, sorte com o dinheiro, predizer o futuro, revelar tesouros escondidos, revelar formulas para ficar rico etc…
    Somente espíritos apegados a matéria é que tratam dessas coisas e muitos desses espíritos podem ser obsessores.
    Outra questão importante, os Espíritos de Luz ou Espíritos Superiores e Elevados não possuem necessidades matérias, eles não precisam de velas, charutos, cigarros, cachaça, farofa etc…
    Quem precisa dessas coisas são espíritos apegados a matéria e aos vícios e desejos terrenos, somente isso.
    Vocês acham que os Espíritos de Luz vão pedir essas coisas????
    Procurem pensar.

    7)Existe no mundo espiritual ou plano extra físico muitos espíritos embusteiros, mentirosos, hipócritas, sedutores e mistificadores, o Mestre Allan Kardec chama esses espíritos de os falsos profetas da erraticidade, Kardec explica que esses espíritos embusteiros tomam nomes falsos e usam uma Linguagem melosa e sedutora para enganar as pessoas.
    Como evitar os espíritos mistificadores???
    Primeiro, não podemos aceitar nada que venha dos espíritos desencarnados sem rigoroso exame.
    Segundo, todos os ensinamentos que venham dos espíritos desencarnados têm que passar pelo crivo severo da Razão e da Lógica mais rigorosa possível para poder ser aceito.
    Qualquer ensinamento que choque a lógica, a razão e a moral elevada, deve ser rejeitado, essas são as recomendações DOUTRINARIAS do Mestre Allan Kardec.
    É por isso, que eu procuro raciocinar muito nessas questões, por que, a Fé no Espiritismo tem que ser Racional e não mística.
    Tudo isso que eu coloquei esta nas Obras do Mestre Kardec.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s